Blog liberto a público de arte abstrata-concreta, literatura mundana, jornalismo experimental e direito cotidiano. ¡Pensare reactivus est!

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Razão de Viver - Donizetti Adalto

"É por você que busco ser o maior,

o melhor,

o primeiro,

cortejado,

sedutor,

um homem por inteiro.



É por você que tento ser o mais

forte,

viril,

imbatível,

o supra-sumo,

um eterno ganhador,

espetacularmente vencedor.



Por você é que pretendo ser o bom,

influente,

o vitorioso,

o mais lindo,

garboso,

uma rara criatura,

sensacional,

o poderoso,

acima até do bem e do mal.



É por você que ambiciono a poder,

positivo,

o pódium,

e sonho ser campeão,

um herói,

o mais sábio,

objeto de adoração,

o super-homem,

o Deus do Olimpo.



É por você que grito, choro,

dou risada.

É por você que brindo, festejo,

comemoro,

e solto gargalhadas,

por que sem você, creia-me,

tudo isso

(vitórias,

poder,

glórias)

não vale absolutamente nada."


Pode ter sido feito para uma mulher o escrito acima, mas é aplicável ao dever de imprensa.
E quando pensamos em desistir da verdade, do civismo e cidadania, da boa vontade, é bom rememorar este poema.

Sem mais para o instante dizer, apenas coloquiais
olhares de cumprimento a vocês.
Share/Bookmark

Um comentário:

laurimar francisco disse...

Donizete adalto